domingo, 27 de novembro de 2011

2 a 4 de Dezembro: X Mostra de Documentários sobre Direitos Humanos


A Amnistia Internacional Portugal – Grupo 19/Sintra, em colaboração com o Centro Cultural Olga Cadaval, promove a realização, entre os dias 2 e 4 de dezembro, da X Mostra de Documentários sobre Direitos Humanos. Durante três dias serão exibidos documentários, alguns deles inéditos, sobre temas distintos, realizados em diversos países, com o intuito de fornecer uma perspetiva alargada sobre alguns dos desafios que se colocam aos Direitos Humanos na atualidade. Além dos documentários, serão ainda realizadas atividades complementares relacionadas com temas e campanhas da Amnistia Internacional.


PROGRAMA | SINOPSES

Os Invisíveis | 2 de dezembro – 10H30 – Pequeno Auditório [Marcação Prévia - Escolas]
Todos os anos, no México, centenas de migrantes latino-americanos deparam-se com o rapto, a violação, o roubo e o assassínio. Empurrados por uma pobreza extrema e pela insegurança nos seus países de origem, viajam através do México na esperança de chegarem aos Estados Unidos e de aí terem uma vida melhor. Mas demasiadas vezes os seus sonhos tornam-se pesadelos. Dividido em quatro partes, Os Invisíveis vem expor a realidade por trás de uma das viagens mais perigosas do mundo e revela algumas dessas histórias, até agora por contar, de quem se atreve a atravessar a fronteira, na procura de um futuro melhor.
Realização: Marc Silver & Gael Garcìa Bernal; Documentário, México, 2010, 30’, Betacam SP [Sem intervalo entre as duas sessões]

50 Anos da Amnistia Internacional | 2 de dezembro – 11h05 – Pequeno Auditório
Produzido pelo premiado documentarista e realizador Jeff Dupre e pela produtora Show of Force, este poderoso filme retrata os 50 anos de trabalho da Amnistia Internacional e desafia-nos a continuar a mudar o mundo, todos juntos, defendendo os Direitos Humanos para todos.
Realização: Jeff Dupree; Documentário, EUA, 2011, 15’, Betacam SP

BURMA VJ | 2 de dezembro – 15h30 – Pequeno Auditório
Desde de 1992, o Myanmar, a antiga Birmânia, no Sudeste asiático, está sob controlo da uma ditadura militar chefiada pelo general Than Shwe. A repressão política, social e étnica controla a sociedade e os movimentos de contestação. Os meios de comunicação social estão sob total controlo do governo militar, tornando quase impossível qualquer manifestação de desagrado ou de protesto. Apesar de tudo isso, em 2007 um grupo de monges budistas liderou uma revolta contra o Estado que chegou a reunir mais de 100 mil pessoas em luta contra a opressão violenta da junta. Os media oficiais ocultaram a revolta. Porém, um grupo de jovens vídeo-jornalistas, armados com câmaras de vídeo digital escondidas, saiu às ruas para cobrir a revolução. Formavam a Voz Democrática da Birmânia, também conhecida como Burma VJs. Os Burma VJs filmaram os protestos, os atos violentos cometidos por agentes da polícia, militares e funcionários, e, de seguida, enviaram clandestinamente as filmagens para a Tailândia. Anders Østergaard, uma das pessoas que teve acesso às filmagens vindas da Birmânia, compilou um documentário fruto do trabalho dos Burma VJs, trazendo um olhar de como a nova tecnologia se torna uma arma na tentativa de revolução do povo birmanês e o seu papel na luta por um país democrático.
Realização: Anders Østergaard; Documentário, 2008, Dinamarca (com recolha de imagens em vários países), 84’, Betacam SP

12 Angry Lebanese | 2 de dezembro – 21h30 – Pequeno Auditório | ESTREIA em Portugal
Durante 15 meses, 45 presos, alguns dos quais iletrados, trabalham em conjunto para apresentar uma adaptação da famosa peça 12 Angry Men de Reginald Rose – conhecida mundialmente através do filme de Sidney Lumet, protagonizado por Henry Fonda. A escolha do texto, que aborda os temas do perdão, do autodesenvolvimento, do estigma e da esperança, não foi acidental. Daccache adicionou monólogos, músicas e coreografias ao texto original, a partir de criações dos presos. Este impressionante documentário inclui ensaios, sessões de drama terapia e entrevistas, revelando a dignidade e o desespero dos presos, bem como a energia e paciência da carismática Daccache.
Realização: Zeina Daccache; Documentário, 2009, Líbano, 78’, Betacam SP


Lixo Extraordinário | 3 de dezembro – 21h30 – Pequeno Auditório
Filmado ao longo de dois anos, entre agosto de 2007 a maio de 2009, Lixo Extraordinário acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz em um dos maiores aterros sanitários do mundo: o Jardim Gramacho, na periferia do Rio de Janeiro. Lá, ele fotografa um grupo de captadores de materiais recicláveis, com o objetivo inicial de retratá-los. No entanto, o trabalho com essas personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugeridos a reimaginar as suas vidas fora daquele ambiente. A equipa tem acesso a todo o processo e, no final, revela o poder transformador da arte e da alquimia do espírito humano.
Realização: Lucy Walker; Documentário, Brasil, 2010, 99’, Betacam SP

Testemunhos de um Etnocídio: Memórias de Resistência | 4 de dezembro – 21h30 – Pequeno Auditório
Depois de 40 anos dedicados ao cinema documental, Marta Rodríguez recupera a memória do etnocídio dos povos indígenas na Colômbia, entre testemunhos e arquivos fílmicos, usando a própria voz e a dos líderes indígenas. A documentarista seguiu o extermínio destas culturas ancestrais desde que começou a filmar o massacre dos guahibos e sicuanis, no munícipio de Planas, em 1970, até aos violentos acontecimentos que desencadearam o massacre dos awá, no dia 26 de agosto de 2009, quando foram assassinadas cruelmente 12 pessoas, incluindo sete crianças. Os povos indígenas colombianos estão em risco de desaparecer devido ao conflito armado, pelo que este documentário vem apelar à solidariedade e ao acompanhamento dos processos de resistência que enfrentam as organizações indígenas.
Realização: Marta Rodríguez; Documentário, Colômbia, 2007-2011, 56', Betacam SP

Mais informações: X Mostra de Documentários sobre Direitos Humanos (Facebook) [Fonte: Amnistia Internacional Portugal - Grupo 19/Sintra]

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.