quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Rede Juvenil de Sintra lamenta "perda de qualidade na Democracia" no concelho

A Rede Participação Juvenil de Sintra (RPJS) volta a questionar a Assembleia Municipal sobre a não inclusão em qualquer ordem do dia da Carta de Recomendações aprovada em Março. Apesar de já ter apresentado o documento na Assembleia de 26 de Abril, durante o período destinado ao público, a Rede gostaria que o assunto fosse alvo de uma deliberação por parte dos deputados municipais.

Insatisfeitos com a falta de resposta, o grupo impulsionador da RPJS contactou o Presidente da Assembleia Municipal, Ângelo Correia, que respondeu ter sido informado que "um representante [da RPJS] falou no período antes da ordem do dia, e que a solicitação foi entregue a todos os grupos parlamentares presentes na Assembleia. Por outras palavras, o objectivo de os informar foi realizado e cabalmente."

No entanto, os jovens dizem que continuam "sem perceber o motivo da não inclusão na Ordem do Dia", razão pela qual tentaram "clarificar o objectivo do grupo" junto de Ângelo Correia, a quem pediram "uma resposta mais esclarecedora". Em resposta, o Presidente da Mesa informa que chegou tarde à Assembleia por motivos profissionais, razão pela qual não pode responder à questão, mas considera que o "problema está encerrado".

Perante esta resposta "pouco esclarecedora", o grupo impulsionador da RPJS diz que "continua sem perceber o que é necessário para incluir uma matéria na ordem do dia da Assembleia Municipal de Sintra" e "considera que esta situação representa uma perda de qualidade na Democracia em Sintra."

Notícia relacionada:
Rede Juvenil de Sintra quer ser ouvida na Assembleia Municipal

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.