quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Agregação de Almargem do Bispo a mais duas freguesias é “solução impossível”

A Junta de Freguesia de Almargem do Bispo rejeita a “solução impossível” de reforma administrativa proposta pela maioria na Assembleia da República, cujo projecto de lei que é votado esta tarde contempla a agregação da freguesia de Almargem do Bispo com Montelavar e Pêro Pinheiro. “A criação de uma nova freguesia com tais dimensões só pode ser razoável para quem não conhece o nosso território e a realidade da nossa freguesia”, escreve o executivo na página da autarquia.

Os autarcas afirmam que “a freguesia tem sido mal tratada no passado, com politicas de esquecimento que têm impedido o seu desenvolvimento” e que “esta lei que pretende aprovar de forma cega e contra a vontade dos órgãos autárquicos e da população, uma agregação prejudicial para o acesso a serviços, desenvolvidos de forma eficiente e eficaz é prova disso.” O executivo liderado pelo socialista Rui Maximiano recusa que a população seja prejudicada e promete firmeza na discordância contra a agregação da freguesia.

Notícias relacionadas:
Massamá e Almargem do Bispo dizem não à agregação das freguesias

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.