sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Concelhia do CDS-PP propõe mapa administrativo com 14 freguesias

[Actualizado] A concelhia do CDS-PP reuniu ontem com a Comissão do Poder Local da Assembleia da Republica para rejeitar a proposta da maioria para Sintra no âmbito da reforma administrativa, e para propor um mapa alternativo. “Esclarecemos a Comissão sobre como se desenvolveu todo o processo em Sintra e demos conta que a concelhia do CDS-PP é contra as soluções propostas pela Unidade Técnica, que pretende reduzir as freguesias para 11”, explicam os centristas no Facebook.

Na reunião de cerca de duas horas, o presidente da concelhia centrista, Silvino Rodrigues, propôs uma solução que implica uma redução de apenas seis freguesias em vez de nove. “Numa atitude construtiva, entregámos aos deputados do PSD e do CDS uma proposta, bem fundamentada e de acordo com a Lei, que permite uma solução de 14 freguesias para Sintra”, explica. A convite do CDS-PP, a reunião contou também com a presença de representantes da concelhia do PSD, nomeadamente Filipe Santos, presidente da junta de Rio de Mouro, e José Pedro Matias, presidente da junta de Massamá.

Os centristas propõem a criação de uniões de freguesias em Queluz e Monte Abraão, Agualva e Mira Sintra, Cacém e São Marcos, Montelavar e Pêro Pinheiro, e Santa Maria mais S. Pedro e S. Martinho. As restantes nove freguesias de Algueirão-Mem Martins, Almargem do Bispo, Belas, Casal de Cambra, Massamá, Colares, Terrugem, Rio de Mouro e S. João das Lampas, não sofreriam alterações. “Agora que os deputados, que são quem tem de decidir, já conhecem os nossos argumentos e têm nas suas mãos a melhor solução para o concelho de Sintra, esperamos que prestem um bom serviço a Sintra e a Portugal e aprovem a proposta que lhe entregámos”, afirma o CDS-PP de Sintra.

No entanto, este cenário difere do previsto no projecto de lei discutido ontem, que foi proposto por um conjunto de deputados da maioria, incluindo Lino Ramos, que é vereador do CDS-PP em Sintra, e que será votada hoje no final do debate quinzenal com o primeiro-ministro. O diploma propõe a aplicação a Sintra do projecto B da Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território (UTRAT), que contempla uma redução de 20 para 11 freguesias, através da extinção de 16 freguesias que são transformadas em sete novas uniões de freguesias.

© Luís Galrão/Tudo sobre Sintra

Notícias relacionadas:
Assembleia da República adia votação da lei que extingue 16 freguesias em Sintra
Supremo Tribunal Administrativo rejeita intimação da Câmara de Sintra ao Parlamento

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.