terça-feira, 12 de março de 2013

Sessões de anilhagem de aves permitem descobrir avifauna de Sintra

A Parques de Sintra inicia este mês sessões de anilhagem de aves no Roseiral do Parque de Monserrate, abertas a todos os visitantes, nas primeiras quartas-feiras de cada mês (excepto feriados). Devido a razões meteorológicas, a primeira iniciativa terá lugar amanhã. As sessões realizam-se no âmbito do projeto Bio+Sintra e têm como objectivos a sensibilização do público para questões relacionadas com a avifauna da Serra de Sintra, bem como a recolha de informações sobre o estado das populações de aves.

Durante a sessão (10h/13h), qualquer visitante do Parque de Monserrate tem a oportunidade de assistir ao processo, incluindo a colocação da anilha e o registo das medidas das aves, recebendo explicações sobre cada passo e aprendendo a identificar as várias espécies capturadas, podendo colocar questões aos técnicos e aprofundar os seus conhecimentos. Para minimizar a perturbação das aves não é permitida a permanência de mais do que 10 pessoas em simultâneo no local de anilhagem.

Estas sessões têm início com a montagem de redes antes do nascer do sol. Posteriormente, as redes são visitadas de 30 em 30 minutos, podendo esta periodicidade aumentar ou diminuir consoante a estação do ano. As aves que ficam presas nas redes são depois marcadas com uma anilha do Centro de Estudos de Migrações e Proteção de Aves (CEMPA) com um número único, sendo também efetuadas várias biometrias que dão indicações sobre a população e o estado geral da ave. É determinada a espécie e, sempre que possível, o sexo e a idade de cada indivíduo. A ave é depois libertada, garantido sempre que se encontra em perfeitas condições. [Fonte: PSML]

Notícia relacionada:
'Parques de Sintra ensina a conhecer avifauna da região'

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.