sábado, 8 de junho de 2013

Marco Almeida e António Capucho reiteram afastamento do PSD



Os dois sociais-democratas que encabeçam o movimento "Sintrenses com Marco Almeida" reforçaram ontem o carácter independente da candidatura, demarcando-se mais uma vez do PSD. "Não renego as minhas convicções na social-democracia, mas o PSD é um elemento do passado, já não faz parte da minha vida. Não me revejo nem nos seus dirigentes, nem nas suas opções políticas, que todos os dias massacram a vida dos portugueses. O meu compromisso é com os sintrenses", salientou Marco Almeida, actual vice-presidente da Câmara de Sintra e candidato à presidência do município nas próximas autárquicas.



Já o candidato à Assembleia Municipal reiterou as razões que o levaram a afastar-se do PSD, que actualmente considera ser “um partido neoliberal dominado por um conjunto de oligarquias, que está afastado das populações e tem uma série de vícios”. António Capucho esclareceu que os estatutos do PSD “são claros e dizem que cessa a inscrição no partido quem apoiar, for mandatário ou se candidatar contra as listas do partido”, como é o caso dele e de Marco Almeida.

O fundador do PSD salienta ainda a importância dos movimentos independentes nas próximas autárquicas. “Têm um papel determinante nestas eleições, especialmente quando tiverem à frente pessoas como o Marco Almeida, com uma enorme experiência e competência, e com uma estratégia de desenvolvimento com a qual me identifico totalmente”, disse à margem da apresentação da sede de candidatura e dos "10 compromissos com as comunidades locais sintrenses".

© Luís Galrão/Tudo sobre Sintra

Notícia relacionada:
Candidatura "Sintrenses com Marco Almeida" apresenta sede e compromissos
'Capucho pode ser expulso do PSD por integrar lista independente'

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.