sexta-feira, 26 de julho de 2013

'Município de Oeiras assume compromisso de financiar extensão do SATU até ao Cacém'


© Luís Galrão/Tudo sobre Sintra

Comunicado da Câmara de Oeiras: "O Executivo Municipal de Oeiras assumiu, dia 25 de julho, em Reunião de Câmara, o compromisso de cumprir a sua parte no que diz respeito ao financiamento da obra de extensão do SATU – Sistema Automático de Transporte Urbano de Oeiras até ao Cacém.

Trata-se de um investimento municipal de € 10.115.576, montante a repartir pelas subsequentes fases do projeto SATU (Fases 2, 3 e 4) em função dos quilómetros, em território de Oeiras, num total de 10.490 metros, envolvido em cada Fase. Refira-se, no entanto, que este montante apenas será disponibilizado pela autarquia, na condição de obtenção de financiamento comunitário para a implementação e concretização da obra, no valor de 75% do investimento total.

Desde 2007 que o SATU se encontra em funcionamento apenas na Fase 1, correspondente à ligação da Estação dos Navegantes, em Paço de Arcos, à Estação do Fórum, no centro comercial Oeiras Parque. No entanto, recorde-se, o objetivo primordial e desde sempre assumido pelo Município de Oeiras foi o de levar o Sistema até ao Concelho de Sintra, mais concretamente à Estação da CP de Agualva-Cacém e, deste modo, alcançar a ambicionada ligação vertical entre as linhas férreas de Sintra e Cascais, promovendo uma melhoria da acessibilidade intermunicipal e da mobilidade dos seus residentes, trabalhadores e visitantes.

Foi este objetivo que, ao longo dos anos, levou o Município a encetar contatos com as mais diversas instâncias governamentais, no sentido de alcançar o desejável envolvimento de fundos comunitários nas fontes de financiamento do projeto.

Na sequência das inúmeras reuniões realizadas, o SATU reúne atualmente condições para apresentação de uma candidatura aos Fundos Comunitários do Programa Operacional de Valorização do Território (POVT) do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN).

Neste sentido, os municípios de Oeiras e de Sintra, em conjunto com a empresa SATU-Oeiras, iniciaram a preparação de um processo de candidatura aos referidos Fundos para o projeto de Expansão do SATU até ao Cacém. A demonstração de vontade por parte dos dois municípios em envolverem-se ativamente na concretização deste projeto teve a concordância do Secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações (SET), Sérgio Silva Monteiro, dado tratar-se de um estruturante para o fecho da rede ferroviária.

Para tornar possível o apoio à concretização do projeto e para a obtenção de Fundos Comunitários foi feita uma revisão dos Estudos de Procura e Análise Custo-Benefício, elaborado em 2010 e objeto de atualização em 2013, que confirmam a Sustentabilidade do Projeto SATU até à linha ferroviária do Cacém, ao nível da viabilidade económica, relativamente à influência direta na economia local e para a AML, tendo em conta que o SATU será uma importante alternativa ao transporte individual, permitindo a redução de emissões atmosféricas e dos níveis de ruído, a redução dos custos operacionais e da sinistralidade, a redução de tempo em viagem e garantindo uma maior fixação de populações.

Estes Estudos preveem que o sistema SATU venha a atingir cerca de 30 mil passageiros, número que será, no futuro, um contributo extremamente importante para a garantia de sustentabilidade futura das Linhas de Cascais e Sintra, que atualmente sofrem de alguns decréscimo de procura, fruto da recessão económica que se vive a nível nacional.

Ainda de acordo com estes Estudos, a extensão do SATU até ao Cacém permitirá melhorar as acessibilidades em transporte coletivo quer a nível local, quer a nível regional no contexto da Área Metropolitana de Lisboa Norte ao permitir a ligação entre os dois eixos ferroviários.

Destacam-se como áreas que virão a ser servidas por este projeto os parques empresariais do Lagoas Park e do Taguspark, onde trabalham mais de 16 mil pessoas, que constituem como importantes polos empregadores localizados no eixo servido pela futura expansão, bem como importantes polos universitários, nomeadamente o Instituto Superior Técnico e a Universidade Católica e, ainda, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), os aglomerados populacionais de Paço de Arcos, Porto Salvo, São Marcos e Cacém, entre outros, promovendo a melhoria das acessibilidades e a mobilidade das populações.

Este corredor encontra-se deficientemente servido de transportes públicos coletivos, vindo o Sistema SATU disponibilizar, com a concretização desta ligação, um sistema de transporte que prestará um verdadeiro serviço social a todos os habitantes residentes nestes dois concelhos e a todos os não-residentes que diariamente circulem no mesmo.

Além do mais, a concretização deste projeto permitirá prestar um relevante serviço público na malha urbana em que se insere e promover uma importante criação e manutenção de postos de trabalho. O Sistema SATU contribuirá, assim, para o aumento da competitividade do território em que se insere e assim potenciar o crescimento económico da região e a instalação de novas atividades." [Fonte: Câmara de Oeiras] [notícias no Jornal da Região e na Rádio Ocidente]

Notícia relacionada:
'Município de Oeiras assume compromisso de financiar extensão do SATU até ao Cacém'

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.