sábado, 21 de setembro de 2013

Basílio Horta promete dar atenção aos "milhares de famílias que não têm pão na mesa"



[Em actualização] O candidato do PS à presidência da Câmara de Sintra contou hoje com o apoio de António José Seguro, secretário-geral do PS, numa arruada que juntou mais de duas centenas de pessoas em Queluz. “Um dia grande para Sintra e para a candidatura”, considerou Basílio Horta num “palco” improvisado em cima de quatro cadeiras.

A economia e o combate ao desemprego surgem à cabeça dos problemas e das prioridades, “porque sem esse combate não há economia social sustentável, nem capacidade de apoiar quem mais precisa”. “Há milhares de famílias, sem exagero, que não têm pão na mesa, e é para essas famílias que vai a nossa atenção”, diz o candidato, preocupado com os elevados números do desemprego e dos jovens em risco.

Para resolver estes problemas, Basílio Horta quer “fomentar a economia para apoiar as pessoas, abrir Sintra ao país e ao mundo para ter capacidade de atrair investimento para criar emprego”. Mas este apoio, esclarece, não pode passar por baixar impostos municipais como o IMI e a derrama, medida que só será viável “com poupança do dinheiro mal aplicado, e com o aumento do investimento que garanta o crescimento económico do concelho”.

Já quase sem voz, o democrata cristão que é deputado independente no PS, disse ainda que a Câmara não será “sítio de refúgio para quem só tem um emblema na lapela e não trabalha” e assegurou que não fará promessas. “Só prometemos o que podemos cumprir, que é trabalho, seriedade, transparência e serviço público”, afirmou o candidato, que reforçou a importância das autárquicas como sinal de mudança contra “o liberalismo desenfreado” da “troika”.

“Basílio Horta é um verdadeiro independente”, diz António José Seguro



António José Seguro veio de propósito do Porto para apoiar o candidato socialista, naquela que foi a primeira grande iniciativa da candidatura de Basílio Horta. “Vim apoiar um humanista, um homem que sente como ninguém os sacrifícios, a dor, e os problemas por que passam muitos portugueses. Um verdadeiro independente, porque não é independente quem quer, é quem quer e quem pode ser independente”, afirmou o secretário-geral do PS.

Do alto de algumas cadeiras de café, António José Seguro apelou ao voto dos “socialistas, progressistas e humanistas do concelho, no único e verdadeiro candidato que é humanista, que pode ajudar a desenvolver Sintra com rigor, com respeito pelos dinheiros públicos e tendo a prioridade certa: o emprego”. O líder socialista também aproveitou o comício improvisado para reiterar as críticas ao Governo e ao corte retroactivo “escandaloso e imoral” das reformas.

© Luís Galrão/Tudo sobre Sintra

Notícia relacionada:
Seguro com Basílio em Sintra ouve denúncias de fome

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.