terça-feira, 8 de outubro de 2013

64 peças dos Palácios Nacionais de Sintra e Queluz disponíveis no Google Art Project



A partir de hoje, 64 imagens de peças dos Palácios Nacionais de Sintra e de Queluz estarão disponíveis para visualização e consulta no Google Art Project, plataforma online que integra mais de 48 mil imagens em alta resolução, de cerca de 330 parceiros, mais de nove mil artistas e seis milhões de seguidores. Estes serão os dois únicos Palácios portugueses a figurar entre as instituições representadas nesta plataforma, vindo juntar-se aos Palácios de Versailles (Paris) ou Grassi (Veneza), ao MoMA (Nova Iorque) ou o Museu Rainha Sofia (Madrid), entre outros, nomeadamente o Museu Colecção Berardo.

Estão disponíveis 28 imagens do Palácio de Sintra e 36 do Palácio de Queluz, entre as quais algumas das que estão propostas como Bens de Interesse Nacional (a classificação nacional mais elevada para bens culturais móveis): a Tapeçaria com as Armas Reais Portuguesas, o Globo Celeste de Christoph Schissler e o Pagode Chinês. As fotografias, disponibilizadas com muito alta definição, permitem ao utilizador um elevado nível de aproximação visual da obra, identificando pormenores até ao nível da sua textura.

A selecção inclui diferentes tipos de acervos, nomeadamente azulejaria, mobiliário, têxteis, escultura e pintura, entre os quais se destacam, em Sintra, os azulejos hispano-mouriscos, os contadores, a tapeçaria com as Armas Reais Portuguesas, o Globo Celeste de Christoph Schissler e o Pagode Chinês; e, em Queluz, as esculturas de John Cheere, o Pianoforte de Clementi e o Tremó (espelho e mesa de encostar). A imagem de cada peça é acompanhada de informação em texto, incluindo dados relativos à data, origem e descrição. Partilham-se assim informações como por exemplo o facto de o Palácio de Sintra ter a maior colecção de azulejos mudéjares in situ da Europa; de o Globo Celeste de Schissler ser um dos mais valiosos entre os vários globos do século XVI hoje existentes; ou de as esculturas de John Cheere nos Jardins do Palácio de Queluz serem o mais importante conjunto de estátuas em chumbo deste autor fora do território inglês, reunido no mesmo espaço.

Este trabalho, conduzido ao longo de nove meses pela equipa multidisciplinar da Parques de Sintra - Monte da Lua (PSML), em contacto directo e permanente com a Google, exigiu conhecimentos não só ao nível da gestão de projecto mas também no que respeita a questões de conservação e museografia, dada a necessidade de manuseamento de peças frágeis durante a campanha fotográfica. A captação de imagens em alta resolução de algumas das 64 obras de arte foi conseguida como resultado de uma parceria da Parques de Sintra com a EPI - Escola Profissional de Imagem, cujo apoio se demonstrou fundamental, dada a dimensão e exigência do trabalho.

Para a Parques de Sintra, a possibilidade de contar com imagens das colecções dos Palácios no Google Art Project constituiu-se desde cedo como uma prioridade, dado que permite divulgar as peças junto de diferentes públicos por todo o mundo (dos curiosos, aos profissionais e académicos). Para o futuro, numa próxima edição do Google Art Project, a Parques de Sintra prevê a integração de fotografias das obras de referência dos acervos do Palácio da Pena.

O Google Art Project conta com mais de 20 milhões de utilizadores em todo o mundo, permitindo o acesso a imagens em alta definição e a conteúdos especializados, através de uma combinação de várias tecnologias e funcionalidades, criando uma experiência online única, sustentada em imagens de alta qualidade e na possibilidade de partilhar conteúdos nas redes sociais. A visualização de toda esta informação pode ser feita com pesquisa por nome do artista ou da obra de arte, tipo de arte, museu, país, cidade ou colecção. Aos utilizadores é ainda permitido criar a sua própria galeria personalizada (inclusive comparando obras lado a lado), adicionando os seus comentários e partilhando-a com os seus contactos. [Fonte: PSML] [notícia no Diário Digital, no Jornal da Região, no PÚBLICO e no TeK]

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.