sexta-feira, 25 de outubro de 2013

António Capucho vai coordenar o grupo político municipal “Sintrenses com Marco Almeida”



O cabeça de lista da candidatura independente “Sintrenses com Marco Almeida” à Assembleia Municipal de Sintra assumiu na quarta-feira o lugar de deputado municipal e de coordenador do grupo político municipal que elegeu quatro vereadores e 13 deputados municipais. “Apesar de não termos ganho as eleições, não tenciono suspender e muito menos renunciar ao mandato que me foi conferido pelos sintrenses. Assumirei em plenitude as minhas obrigações como deputado municipal”, afirmou António Capucho durante o discurso de tomada de posse, no qual lembrou que esta candidatura contou com o apoio de mais de 31 mil sintrenses, “apenas menos 1% do que na candidatura vitoriosa.”

O autarca saudou o novo presidente, Basílio Horta, o democrata cristão independente eleito na lista do Partido Socialista, personalidade que diz acreditar estar à altura do desafio. “Conheço desde 1974 as qualidades pessoais e políticas do presidente eleito. Com ele partilhei uma fecunda e promissora experiência política na Aliança Democrática, ao lado de grandes homens de Estado, como foram, entre outros, Francisco Sá Carneiro, Eurico de Melo, Diogo Freitas do Amaral e Adelino Amaro da Costa. Pela experiência e pelo percurso profissional e político, sei que está à altura do desafio que se coloca à nossa autarquia”, disse.

Apesar de não contestar a legitimidade do PS “para governar Sintra e fazê-lo mediante os acordos que entendeu celebrar”, António d'Orey Capucho pede o fim da discriminação da lista que representa e “que os acordos celebrados sejam tornados públicos, por razões de transparência, nomeadamente quanto à distribuição de competências no seio da Câmara e entidades municipais dela dependentes, como também ao programa que tencionam desenvolver em resultado da síntese das propostas eleitorais que apresentaram” [a distribuição de pelouros deverá ser divulgada esta sexta-feira].

Independentes assumem "oposição construtiva e mesmo colaborante"

No discurso que fez no Centro Cultural Olga Cadaval, António Capucho refutou ainda, “categoricamente”, “a invocação pelos vencedores de uma alegada postura anti-partidos" da sua candidatura. “Sempre defendemos o papel essencial dos partidos na organização política do Estado, mesmo quando consideramos que muitas vezes estão longe de ser exemplo positivo em ordem à satisfação das expectativas legítimas dos portugueses. Mas, se assim é, defendemos também que a participação dos cidadãos na vida política não se esgota nos partidos”, afirmou.

Para os próximos quatro anos, a segunda maior bancada na Assembleia Municipal assume um papel de “oposição construtiva e mesmo colaborante em tudo o que seja merecedor de apoio”. “Como oposição assumida, continuaremos, nos órgãos do município e das freguesias, a lutar pelos ideais e pelas propostas que nos congregaram na candidatura independente “Sintrenses com Marco Almeida”, bem como, na Assembleia Municipal, a acompanhar e fiscalizar, como nos compete legalmente, a actividade da Câmara Municipal, dos serviços municipalizados, das empresas municipais e das demais entidades que integram o perímetro da administração local.”

Notícias relacionadas:
Basílio Horta apresenta prioridades para o mandato que começou hoje na Câmara
Áudio dos discursos de tomada de posse da nova Assembleia Municipal de Sintra

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.