segunda-feira, 21 de outubro de 2013

'Falta de investimento está a degradar a rede ferroviária portuguesa'

No PÚBLICO: "Com os comboios acontece o mesmo que com os automóveis. Se as estradas não são boas, queixam-se a suspensão, os pneus e as rodas das viaturas. No caso do material circulante ferroviário, são essencialmente os rodados que sofrem os efeitos de carris em mau estado, o que aumenta os custos de reparação e de imobilização de comboios e automotoras. (...) Para a CP, os primeiros sinais de alarme surgiram na Linha de Sintra quando se constatou um desgaste anormal dos rodados dos comboios. Rodas que deveriam ser reperfiladas aos 800 mil quilómetros começaram a ter de ir ao torno de rodados aos 100 mil, tal era o mau estado em que se encontravam. Técnicos da CP dizem que na linha de Sintra é visível a olho nu o "desgaste ondulatório" nos carris - ou seja, a superfície de rolamento do carril, que deveria ser lisa, acusa pequenas ondas. Contudo, nada disto compromete, para já, a segurança. Mas os custos de manutenção dos comboios suburbanos que ali circulam é que dispararam." [notícia integral]

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.