segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Basílio Horta assegura que a "Cidade da Sonae” não será aprovada "tal como está" no projecto

[Actualizado] O Plano de Pormenor da Abrunheira Norte (PPAN) que esteve em consulta pública até sexta-feira, não será aprovado tal como está, assegura o presidente da Câmara de Sintra. “Este projecto tem que ser bom para o investidor e ter um peso social relevante para o concelho, e não será aprovado se não representar uma mais-valia verdadeiramente relevante para os munícipes”, avançou ontem o autarca no seu perfil no Facebook.

O projecto, apelidado de “Cidade da Sonae” por Basílio Horta, dado ser este grupo o principal promotor, foi muito contestado nas sessões de debate promovidas no âmbito da consulta pública, durante a qual um grupo de moradores juntou mais de 2080 assinaturas numa petição e mais de 120 requerimentos contra a construção do empreendimento.

"Estamos de Parabéns! Valeu a pena o nosso empenho, o tempo gasto e a união durante o período de consulta pública do PPAN. Acredito que a força do colectivo dá frutos e aqui está a prova de que vale a pena criar laços de proximidade com os nossos vizinhos para exigir a qualidade de vida que merecemos ter em Sintra. A cidadania compensa!”, afirma Catarina Pinto, a arquitecta que promoveu a petição e que promete continuar atenta ao processo.

O presidente da autarquia, por seu lado, salienta “a forma transparente como decorreu a discussão pública”, lançada com “a genuína vontade de ouvir para apresentar, ou não, uma proposta final.” Segundo Basílio Horta, “a câmara vai agora avaliar os contributos de todos e negociar com o promotor os termos de uma possível viabilização do plano para ser apresentado aos órgãos municipais”. No entanto, ainda não foi divulgada qualquer informação formal nas páginas municipais.

A proposta de PPAN apresentada pela Câmara de Sintra prevê, entre outros, a construção de uma grande superfície comercial de mais de 37 mil metros quadrados, dois hotéis, uma clínica de cinco andares, e dois parques urbanos, numa área de 70,5 hectares junto à Abrunheira, ao lado do nó do IC19 com a A16. [ver documentos em consulta pública e petição contra o projecto] [notícia no Jornal da Região]

Noticias relacionadas:
BE contesta "pressão imobiliária" prevista no PPAN
'Movimento de cidadania contra construção de área comercial junto ao IC19'
Mais de 1800 já disseram não à construção da ‘Cidade da Sonae’ na Abrunheira
'Urbanização e novo centro comercial junto ao IC19 em discussão pública'
Discussão pública do Plano de Pormenor da Abrunheira Norte prolongada até dia 9

Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.