quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Terrenos abandonados da Quinta da Fidalga vão dar lugar a "espaço verde de lazer e recreio"

O presidente da Câmara de Sintra visitou hoje os trabalhos em curso na Quinta da Fidalga, em Agualva, cujos terrenos até agora abandonados irão dar lugar a uma zona verde, como anunciado na presidência aberta realizada em Outubro. Ao lado, o solar do século XVIII irá acolher as novas instalações do Conservatório de Música de Sintra.

A visita de Basílio Horta, que foi acompanhado pelo presidente da União de Freguesias de Agualva e Mira Sintra, Carlos Casimiro, destinou-se a "definir o projecto final de requalificação da zona". "O objectivo é devolver o espaço público das nossas cidades às pessoas. Espaços verdes, de lazer e recreio e equipamentos desportivos vão ser instalados neste local de Agualva", avança a autarquia, sem adiantar qual o prazo da obra.

A Quinta de Nossa Senhora do Monte do Carmo, mais conhecida como Quinta da Fidalga, foi mandada construir em 1720 por José Ramos da Silva, Provedor da Casa da Moeda e pai do escritor Matias Aires, que também ali viveu até morrer em 1763. O espaço situado junto ao Largo da República foi ocupado e danificado após o 25 de Abril de 1974, e transformado numa escola. Mais tarde, já em 2005, foi colocado à venda, tendo sido adquirido pela Câmara de Sintra que, no ano seguinte, a classificou como Monumentos de Interesse Municipal. [conheça a história da Quinta através do Sistema de Informação para o Património Arquitectónico] [Foto © CMS]

Notícias relacionadas:
Jornal da Região - 26 de Novembro
'Conservatório de Música de Sintra vai instalar-se na Quinta da Fidalga'
Câmara anuncia "incubadora de emprego" e novo centro de saúde em Agualva

Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.