quinta-feira, 10 de abril de 2014

Escolas do primeiro ciclo de Algueirão pedem donativos para materiais e produtos de higiene

[Actualizado] O Movimento "Sintrenses com Marco Almeida" denuncia hoje o "garrote financeiro nas escolas do 1º Ciclo", que leva a que em Algueirão-Mem Martins a directora do agrupamento que engloba a EB1/JI Casal da Cavaleira e a EB1 do Algueirão tenha pedido donativos aos pais dos alunos para comprar materiais de desgaste como cartolinas, colas, produtos de higiene e de primeiros socorros.

Numa informação de 28 de Março, Fátima Fernandes Morais, directora do Agrupamento de Escolas do Algueirão – Mestre Domingos Saraiva, informa os encarregados de educação que "o Orçamento de Estado não contempla verbas para o 1º ciclo" e que "as receitas arrecadadas da junta de freguesia para limpeza e expediente, e da Câmara de Sintra, para manutenção das instalações", não permitem suportar "as despesas com material de desgaste como tintas, cartolinas, papel de cenário, colas brancas e de madeira, papel higiénico, toalhetes de mãos, produtos de primeiros-socorros, entre outros".

No documento divulgado pelo Movimento "Sintrenses com Marco Almeida" pode ainda ler-se que "está a tornar-se incomportável a gestão do 1º ciclo sem qualquer fonte de receita, o que se reflecte na qualidade do serviço oferecido às crianças," pelo que a directora do Agrupamento "solicita a colaboração dos encarregados de educação no sentido de contribuir com um donativo anual de 15 euros, ou de 5 euros por período", valores que poderão ser declarados no IRS como donativos.

Os vereadores independentes mostram-se surpreendidos com a situação e questionam a Câmara de Sintra e a Junta de Freguesia sobre se "foram esgotadas todas as respostas possíveis". "Num ano em que se vê comemorado o 40º aniversário do 25 de Abril, o direito à educação passa de tendencialmente gratuito a tendencialmente comparticipado… pelas famílias. É de um retrocesso que se trata e é uma conquista que se compromete!", afirmam os quatro vereadores sem pelouros. [ver comunicado] [notícia na Rádio Ocidente]

[Actualização] Num comunicado a que o Tudo sobre Sintra só teve acesso perto da meia-noite, a directora do Agrupamento de Escolas do Algueirão esclarece que "nunca pretendeu colocar o ónus da culpa dos constrangimentos financeiros na Câmara de Sintra ou na Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins", com quem tem "estabelecido exemplares relações de parceria e cuja colaboração tem sido um grande suporte".

No documento, Fátima Fernandes Morais "lamenta que a solicitação de colaboração por parte de pais e encarregados de educação tenha sido alvo de instrumentalização política" por parte do Movimento "Sintrenses com Marco Almeida, atitude que repudia veementemente e que "em nada se enquadra nas reais preocupações" da estrutura que dirige. "Não fez este Agrupamento mais do que outros têm vindo a fazer a nível nacional, no sentido de ultrapassar dificuldades económicas que são do conhecimento geral", esclarece.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.