terça-feira, 14 de outubro de 2014

Câmara e escolas sem professores ameaçam manifestar-se na sexta-feira em Lisboa



[Actualizado] O presidente da Câmara de Sintra assegurou esta tarde que irá manifestar-se na sexta-feira frente ao Ministério da Educação, caso não comecem a ser colocados os cerca de 150 professores em falta no concelho. “As escolas vão ter uma reunião com o director-geral da administração escolar na quinta-feira. Se a reunião correr bem, e se se verificar que os problemas estão bem encaminhados, a câmara fica contente e entra na segunda fase, que é o problema da recuperação das aulas; se correr mal, faremos uma manifestação à porta do ministério na sexta-feira, às 15h, onde eu estarei”, assegura Basílio Horta (áudio anexo).

O autarca reuniu esta tarde com os professores e as associações de pais das escolas afectadas, onde ainda falta colocar 154 professores (149, segundo a Federação das Associações de Pais do concelho de Sintra), e espera “ardentemente” que da reunião de quinta-feira saiam boas notícias. “Correr bem é haver um número suficiente de professores já colocados dentro da bolsa de contratação, para que as aulas entrem no processo de normalização, mas não vamos exigir que os cento e tal professores fiquem todos colocados. Se isso acontecer, ficamos em paz. Se não acontecer, não podemos ficar aqui e temos de fazer uma manifestação”, disse o autarca, que ainda hoje vai insistir no pedido de audiência urgente com o ministro Nuno Crato. [notícia no Jornal da Região]

© Luís Galrão/Tudo sobre Sintra

Notícias relacionadas:
'Dupla colocação de horários deixa docentes sem trabalho'
Basílio Horta reúne na terça-feira com escolas onde faltam 167 professores

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.