quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Utentes de Sintra e da Amadora voltam a exigir melhores condições nos serviços de saúde



[Actualizado] Cerca de duas centenas de utentes da saúde de Sintra e da Amadora concentraram-se esta tarde junto ao Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) para exigir melhores condições nos serviços prestados nos dois concelhos e em defesa do Serviço Nacional de Saúde.

"Chegamos a um ponto absolutamente insustentável. Há mais de 20 anos que a população necessita de um novo hospital em Sintra, onde 165 mil utentes não têm médico de família. Este hospital foi construido para dar resposta a 350 mil utentes, mas serve actualmente 650 mil, pelo que é necessário um novo hospital público, bem como centros de saúde com o pessoal médico em falta", defendeu Paula Borges, da Comissão de Utentes da Saúde do Concelho de Sintra (CUSCS).

Além das duas comissões de utentes, estiveram presentes representantes da Plataforma de Lisboa em Defesa do Serviço Nacional de Saúde, autarcas e deputados do PCP e do Bloco de Esquerda, os comandantes dos Bombeiros Voluntários de Algueirão-Mem Martins e da Amadora, enfermeiros e pelo menos duas organizações de reformados, pensionistas e idosos (APRe! e MURPI).

No final da concentração, a Plataforma de Lisboa anunciou uma marcha de protesto no dia 19 de Fevereiro, pelas 17h, entre o Hospital Curry Cabral e o Ministério da Saúde. [notícia no Correio da Manhã, no Jornal da Região, no Observador, na Rádio Renascença, na RTP, no Sapo e na SIC Notícias]

Vídeo na SIC Notícias:


Vídeo na SIC:


Vídeo na RTP:


Notícias relacionadas:
'Utentes do Amadora-Sintra manifestam-se contra «deficiente atendimento ao público»'
BE solidário com protesto das comissões de utentes junto ao Amadora-Sintra

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.