sábado, 1 de agosto de 2015

'Joaquim de Almeida: «Agora só aceito ser vilão se gostar do papel ou se me pagarem muito»'

No Diário de Notícias: "Foi vilão sul-americano tantas vezes que quando apareceu n'A Gaiola Dourada, de Ruben Alves, no papel de um imigrante em Paris, homem de futebol e fado, a debater-se entre preconceitos e sonhos, foi um alívio. (...) Agora, aparece para a entrevista no café de S. Pedro de Sintra, onde costuma tomar cedinho o pequeno-almoço, e é como se tivesse recuado no tempo. Emagreceu, tem uma expressão mais fresca." [notícia integral]

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários devem observar as regras gerais de “netiqueta”. No âmbito da moderação em vigor, serão eliminadas mensagens ofensivas, difamatórias, xenófobas, pornográficas ou de cariz comercial.